Time Machine and NAS Hacks

January 18th, 2011

Just found out that my Time Machine SparseBundle is corrupt. I thought that it would be cool to save some money and hack Time Machine to enable backups to a Network Share on my home NAS instead of buying Time Capsule. It worked perfectly for a month or so, but I’ve done some changes on my home network and a couple of abrupt disconnects caused major havoc on it and eventually that was the cause of the corruption. Just found this info on this thread:

The technical reason why Apple limits Time Machine to 10.5 AFP volumes appears to be to prevent disk image corruption. There were additional features added to AFP in 10.5 to support Time Machine. These presumably allow the disk image engine to force disk image journal data to write out all the way to the disk. Without such features, a network interruption can result in a corrupted filesystem on the disk image despite journaling. Remember, journaling relies on the journal being written all the way to disk before the changes take place. If you can’t guarantee that (e.g., because of network/NAS buffering) then the journal is useless. Time Machine appears to rely heavily on disk journaling to deal with network drop-outs, interrupted backups, and the like. Take this away and your data is at risk.

If the NAS you are using supports these features it should report them to the OS and you should natively be able to choose that volume. If you have to trick the OS to use the volume it means the NAS does not support it.

To summarize: if you care about your backup data you should avoid using non-natively supported AFP servers.

I would be interested to know if somebody got it right with non-AFP 10.5 NAS (ie, Samba or NFS hack). I am now using a local attached USB disk.


Fábrica de desemprego

November 24th, 2010

Leitura do dia:

II. O sindicalismo português, representado pela GCTP e pela UGT, está perdido no tempo. A CGTP e a UGT são forças reaccionárias que impedem a adaptação de Portugal ao século XXI. Um exemplo: se os trabalhadores da Auto-Europa tivessem seguido as indicações dos sindicatos, a empresa já não estava cá. Felizmente, a comissão de trabalhadores da Auto-Europa negociou regras de flexibilidade que aumentaram a produtividade da empresa. Resultado: para o ano, os trabalhadores da Auto-Europa vão ter um aumento de 4%. Se os sindicatos tivessem impedido as mudanças “neoliberais” na Auto-Europa, os milhares de trabalhadores da fábrica estariam agora na rua a protestar contra o “neoliberalismo”. A UGT e a CGTP são fábrica de desemprego.

A CGTP é uma fábrica de desemprego.


This is what Electronic should be, II

November 14th, 2010

Orbital – Sad But True. Can’t get better than this.


This is what Electronic should be

November 14th, 2010

Orbital – Attached.


Os Overheads

November 11th, 2010

Leitura recomendada:

No início da década, conheci uma empresa pública que competia no seu ramo de actividade com várias empresas privadas. Nesses tempos, a líder do sector, privada, tinha uma estrutura central com cerca de 20 pessoas, directores, administrativos, secretárias e tudo o resto incluído. Na empresa pública só directores eram os mesmos 20. A situação foi muito bem descrita por um consultor que por lá passou: ‘Nunca vi tão pouca empresa para tantos overheads’.
No organigrama, descrito no seu próprio relatório anual, via-se um departamento de apoio psicológico para ajudar os trabalhadores stressados a ultrapassar os maus momentos e uma direcção de responsabilidade social. Apesar da simplicidade operativa própria do sector de actividade, tinham dividido as operações em três direcções independentes. Apesar de trabalharem exclusivamente no mercado nacional, tinham um responsável pelas relações internacionais. Ao todo eram duas dezenas de directores, duas dezenas de carros, duas dezenas de gabinetes em zona nobre da cidade, duas dezenas de cartões de crédito e mais uma dúzia de secretárias – modestamente, repartiam-nas.

Os Overheads


O livro que se segue

October 30th, 2010

Big Bang (Simon Singh).


Secret Lives of Great Artists

October 12th, 2010

Tenho o hábito de comprar livros quando estou em passagem por aeroportos, sobretudo quando sei que vou passar longas horas a voar e é quase certo que dormir a 10.000 metros de altitude é coisa que raramente faço. Junho de 2010, estava no aeroporto de S. Francisco prontinho para regressar a Cork via Londres após uma semana de trabalho. Depois de ter comido uma pizza ao lado de uma família que se entretia com Fast Sushi enquanto aguardava o regresso a Hong Kong, comecei a pensar nas lindas e longas 10 horas de voo, dos filmes todos que poderia ver no voo mas que já tinha visto, das conversas de ocasião com o vizinho do assento do lado e comecei a assustar-me. Deixa-me mas é comprar um livro para me entreter que isto não vai ser fácil. Reparei na loja do SFMOMA (S. Francisco Museum of Modern Art), que recomendo vivamente. Tem T-shirts fantásticas, artigos de escritório originais, bijuteria, tralha vária, cadeiras, acessórios, coisas para putos, postais e claro, livros. Da pilha que vi, decidi-me pelo Secret Lives of Great Artists, Elizabeth Lunday.

Sempre tive curiosidade em saber se o grau de pancada dos artistas é algo que já vem de trás no código genético ou uma idéia de marketing para enganar gajos como eu que gastam 16.95 dólares em livros destes. Pois bem, é verdade, a pancada é verídica e neste livro é contada com pormenores sórdidos e momentos rocambolescos. A vida de artista não é fácil. Aqui fica uma selecção em estilo almanaque (traduzido daqui e pronta a mastigar):

- Michelangelo cheirava tão mal que os seus assistantes recusavam-se a trabalhar para ele.
- Pablo Picasso cumpriu pena de prisão por ter roubado diversas estátuas do Museu do Louvre.
- O animal de estimação favorito de Gabriel Dante Rossetti era um Wombat que dormia na mesa de jantar.
- Vicent van Gogh por vezes comia as próprias tintas que usava para pintar.
- Georgia O’Keeffe gostava de pintar nua
- Salvador Dali concebeu um perfume à base de esterco para atrair a atenção da sua futura mulher.

Isto é tudo verdade (a sério, vejam a bibliografia) e no meio de tanta loucura há verdadeiras histórias de arte que são muito interessantes. De Jan Van Eyck a Andy Warhol, há toneladas de páginas para devorar. Recomendo vivamente. E ainda deu para dormir uma horita ou duas antes de aterrar.


Run with the wolves

October 11th, 2010

Great video.

Prodigy – Run with the wolves.


E nao vale a pena ir muito longe

October 1st, 2010

Pixies – Gouge Away (live 1990 RARE)


Android is Open

September 16th, 2010

We all know what Open means in Android:

Android is an “open” operating system in name only. Sure, you can get the source code and mess around with it, but there are no mainstream generic Android phones that work on any carrier, and no carrier-sold phones are simple to crack open and do what you will.

“Open” refers to a carrier’s ability to modify the phone’s software to its will, not the consumer or developers’. In fact, many Android phones come with garbageware installed on the phones’ home screen, with no way to remove it.

Also related, Is Android Evil?


Mais vale tarde do que nunca

September 9th, 2010

Fidel Castro, depois de quatro anos de reflexão, por motivo de doença, entrou na fase de «autocrítica». Há dias assumiu a responsabilidade da feroz repressão, das permanentes perseguições e prisões a que o castrismo submeteu, desde o final dos anos 60, os homossexuais cubanos. Agora, concluiu o ditador das Caraíbas que «o modelo cubano não serve nem para nós». Não serve para os cubanos, nem a «apropriação dos meios de produção pelo Estado» serviu em parte alguma, nem na URSS, nem na Europa de Leste, nem na China. Continua a servir apenas na cabeça dos dirigentes comunistas e da extrema-esquerda portuguesa que, ainda hoje, nos acenam com a intervenção do Estado na economia como solução milagreira para os nossos males. Em Cuba, os manos Castro, depois de cinquenta anos de desastre de «economia de Estado», andam a tentar privatizar fábricas e a estimular a actividade económica privada como solução para saírem da miséria; aqui ainda nos propõem como solução a «nacionalização dos sectores estratégicos da economia». Não aprenderam nada!

por Tomás Vasques.


The Dead Weather

September 5th, 2010

A rodar no gira-discos. The Dead Weather – “Hustle and Cuss”. Rock and blues is back on my iTunes. Insane. I wish I could see them live.

‘Sea Of Cowards’ sounds like a voodoo ghost train into an Emily The Strange comic populated by zombie cowboys. It’s stylised like a Manga version of the blues. And it’s so low-slung that it disembowels itself with its own pelvis.